Entre sem se perder...

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Confidencial


Reconheço-me
 como uma senhora profana
mas te olho com ares de dama antiga
e me presto a enfeitar meus cabelos curtos
como se longos fossem
para te iludir quanto à época
em que estamos.
E confiro a ti uma intimidade
incompatível com o período
e me permito dizer
 com um tom de vergonha
o que uma mulher de respeito 
e casada jamais diria.
Entre sins e senãos
peço para que me encorages
e com vergonha
do meu colo nú
nas tuas mãos
falo
sem querer
terríveis absurdos
coisas impublicáveis
que somente uma paixão
 justifica. 

Um comentário:

Marisa Figueiredo Bragalia disse...

Tentei entender tais confidências...