Entre sem se perder...

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009


Sem dúvida que vou...
vou como qualquer outro.
Mas eu só vou...
se for de arrasto!

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Disseste bem...

Queria um poema que falasse de ex-amores.
Queria que o poema significasse.
Sofro do terrível mal
de não conseguir dizer...
e muitas vezes
e muitas.
Muitas.
Grafito todos os muros.
Queria que o poema falasse por si
falasse por ele mesmo.
Queria não coagir o papel.
Queria apontar minhas canetas
e não desapontar.
Escrevo tudo o que sinto.
Escrevo como posso
como me parece.
Mas o silêncio
consegue significar
ainda mais.